HOME Atualidade
Paços de Ferreira – PAN preocupado com descargas ilegais no Rio Ferreira
  • Construção da ETAR de Arreigada, em Paços de Ferreira, terá sido alegadamente concluída em novembro, mas continua inoperacional.
  • Descargas de efluentes sem tratamento prolongam-se há vários anos.   
  • PAN quer mais fiscalização e responsabilização dos infratores.

O partido PAN (Pessoas-Animais-Natureza) questionou pela terceira vez desde 2018 o Governo sobre a atual situação da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Arreigada, em Paços de Ferreira, após relatos de que esta ainda não se encontra em funcionamento, apesar da garantia dada pelo Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos, a 14 de janeiro, de que “em 15 dias a três semanas a ETAR estará pronta e ligada. Não é por falta de inspeção alguma que deixará de estar ligada”.

Esta é uma situação que se vem arrastando ao longo do tempo, com graves consequências ambientais e lesando de forma inaceitável os habitantes de Lordelo, no concelho de Paredes”, sustenta a deputada do PAN, eleita pelo círculo eleitoral do Porto, Bebiana Cunha. Para a deputada que participou juntamente com os moradores na vigília pelo rio Ferreira, organizada pelo Movimento “Mataram o Rio Ferreira” e que teve lugar em Lordelo no a 25 de setembro, Dia Mundial dos Rios, “é não só urgente que esta ETAR entre em funcionamento, como também é imperativo que se encontre e responsabilize os responsáveis pelas descargas ilegais que ocorrem recorrentemente no rio Ferreira de forma impune”.

Atendendo ao facto de ter sido anunciada a conclusão das obras da ETAR em novembro passado sem que a mesma tenha entrado em funcionamento, com a agravante de que se mantêm os relatos de descargas sem tratamento – a última das quais relatada a 16 de janeiro -, o PAN entendeu questionar novamente o Governo. “Queremos que o Governo, em particular o Ministro do Ambiente e Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, nos esclareça e explique às populações afetadas sobre quais as razões que podem justificar estes constantes atrasos com graves prejuízos ambientais e até para a saúde pública, bem como qual a data prevista para a entrada em funcionamento da mesma”, refere Bebiana Cunha. O PAN pretende ainda saber se já foram identificados os responsáveis pelas descargas no rio e, se sim, como pretende responsabilizar os infratores.

Desde há vários anos que o PAN vem acompanhando a situação do rio Ferreira, que tem vindo a ser continuadamente alvo de descargas ilegais e sem tratamento, não obstante as várias denúncias quanto ao estado de contaminação deste curso de água, tendo já em 2018 questionado o Governo – e, posteriormente, em 2019 – que à época deu nota de que que a obra de remodelação e ampliação da ETAR se encontrava adjudicada e que os trabalhos já se encontravam em curso. “Fomos também então informados de que já teria sido implementado um sistema de tratamento preliminar alternativo, possibilitando a desativação do anteriormente existente, o que viabilizaria a condução do efluente para tratamento secundário, o qual só então seria descarregado na linha de água”, recorda a deputada. Contudo, o PAN continua a receber diversas denúncias segundo as quais não se registou até à data qualquer melhoria da qualidade da água do rio Ferreira.

Comentários