HOME Atualidade
António Soares é candidato do Bloco de Esquerda à Assembleia Municipal

O Bloco de Esquerda anunciou esta quinta-feira, António Soares como cabeça-de-lista à Assembleia Municipal de Santo Tirso.

Esta é a primeira vez que os bloquistas se candidatam em Santo Tirso, tendo como principal objetivo “renovar a
política no concelho.”

Numa nota enviada à nossa redação, a concelhia afirma que esta candidatura :procura representar todos aqueles e todas
aquelas que ambicionam um futuro diferente. Queremos uma cidade com cultura e que respeite o ambiente e os animais. Um concelho que projeta os trabalhadores e trabalhadoras e os seus direitos. Que garanta uma rede de transportes públicos eficaz para todo o território e tenha uma oferta de habitação acessível, para que quem quiser viver em Santo Tirso o possa fazer. Queremos um concelho que incentive os jovens a ficar e que sirva os tirsenses.”


António Sousa Soares, 19 anos de idade, nasceu no dia 4 de outubro de 2001
no Hospital de Santo Tirso, cidade onde vive desde então.


O seu percurso escolar inicia-se na Escola EB 1 Conde S. Bento, passando pela EB
2/3 São Rosendo e pela Escola Básica e Secundária D. Dinis onde concluiu este grau de ensino em Línguas e Humanidades. Foi jogador de andebol no Ginásio Clube de Santo Tirso durante nove anos e fez parte da equipa de andebol escolar. Durante os seus anos de estudo em Santo Tirso representou a D. Dinis no Parlamento dos Jovens e foi ainda membro do clube de Teatro. Atualmente, estuda Geografia na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Enquanto estudante universitário, empenha-se
em melhorar a vida e as condições dos estudantes através do seu ativismo estudantil como representante da plataforma “Quarentena Académica”.
É membro do Bloco de Esquerda de Santo Tirso, onde participa ativamente e
mobiliza a atenção das pessoas para os problemas do concelho. Enquanto ativista
pelo direito dos animais, foi um dos principais organizadores, em 2020, da maior manifestação em defesa da vida animal jamais vista no concelho, que chamou a atenção de todo o país para uma tragédia local e para a necessidade de políticas de proteção dos animais.


Comentários