HOME Atualidade
PSD de Santo Tirso denuncia falta de obras de manutenção na VIM

Falta de limpeza das bermas, cascalho e terra acumulados nas valetas, sinalização vertical deteriorada, piso irregular e gasto, e, ainda, passeios para peões quase inexistentes. É este o cenário que o munícipe encontra, atualmente, no troço da Via Intermunicipal (VIM) sob responsabilidade do Município de Santo Tirso.

Construída para interligar os concelhos de Vizela, Santo Tirso, Guimarães e Vila Nova de Famalicão, a VIM permitiu a resolução dos estrangulamentos existentes na rede viária daquela região do Vale do Ave, densamente povoada e industrializada.

Após inúmeras queixas de utentes, uma comitiva social-democrata visitou ontem o trajeto da VIM no território do concelho de Santo Tirso e testemunhou o pior dos cenários.

“Estamos preocupados com o estado de conservação da VIM, uma via estrutural para o nosso município, nomeadamente, para as freguesias de Vila Nova do Campo e Vilarinho. A manutenção desta parte do percurso é da responsabilidade da Câmara Municipal de Santo Tirso e nada tem sido feito. Por outro lado, a rotunda nesta via em Vila Nova do Campo não sai do papel, com promessas atrás de promessas. Os anos vão passando e a inércia é total”, referiu o presidente do PSD de Santo Tirso.

Durante a visita, Ricardo Pereira lembrou que, “nos últimos 5 anos, a obra tem sido pouco ou nenhuma por todo o concelho” e que, “se repararmos, toda a gente está a reclamar”.

“Reclama-se no centro de Santo Tirso, nas zonas do Vale do Leça e no Vale Nascente. E a rotunda na VIM é apenas um dos problemas, pois, também precisamos do acesso à estação ferroviária de Lordelo, localizada a apenas 200 metros. É necessário criar condições para que as pessoas não tenham de se deslocar 3 ou 4 quilómetros para acederem à estação”, asseverou o responsável.

“Se nos deslocarmos até ao início do trajeto da VIM no concelho de Guimarães, constatamos que, no município vizinho, a via está impecável, em contraste com aquilo que encontramos no percurso em Santo Tirso. Andamos no terreno e, se queremos ser o executivo municipal, não podemos passar o tempo a posar para as fotografias. Ninguém pode ficar sentado na sede do município e esquecer-se que o concelho de Santo Tirso vai de Água Longa até Vilarinho”, afiançou Ricardo Pereira.

O eleito social-democrata em Vilarinho, Mário Ferreira, prosseguiu no mesmo tom.

“O troço da VIM que se encontra em Santo Tirso é aquele que não tem sofrido obras de manutenção. Em Vilarinho, o principal problema tem a ver com o piso e o deslizamento de areias que tornam a estrada muito perigosa, sobretudo nesta época de chuva. Temos alertado para isso nas assembleias de freguesia, mas, a verdade é que a Câmara de Santo Tirso não tem dado resposta”, sublinhou.

Ao longo dos últimos anos, o JORNAL O CORDOVENSE, tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O JORNAL O CORDOVENSE é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há dez anos.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o JORNAL O CORDOVENSE. MBWAY – 919954029 NIB – 0010 0000 4687 7240 0016 5

Comentários