HOME Cultura
Doug Bailey e Sara Navarro unem Arte e Arqueologia no MIEC

EXPOSIÇÃO ESTÁ PATENTE ATÉ 14 DE JUNHO

“Creative (un)makings: disruption in art/archaeology” é a nova exposição patente no Museu Internacional de Escultura Contemporânea e explora a relação entre a arte e a arqueologia. O arqueólogo americano Doug Bailey e a escultora portuguesa Sara Navarro juntam-se, assim, para uma exposição com obras de mais de trinta artistas.

“É uma experiência que une a arte e a arqueologia com o objetivo de despertar formas de pensar que vão para além dos limites do conceito de cada uma das áreas”. É assim que Doug Bailey, arqueólogo e professor no Departamento de antropologia da Universidade de São Francisco, nos Estados Unidos da América, descreve a exposição que desenvolveu em parceria com a escultora portuguesa Sara Navarro.

“Creative (un)makings: disruption in art/archaeology” é uma nova abordagem ao passado que se desenrola ao longo de três instalações provocadoras. “Releasing de Archive”, de Doug Bailey é a primeira delas e apresenta fotografias e vídeos com o objetivo de virar do avesso os valores padrão que as coleções museológicas usam para preservar os objetos e imagens históricos. “Beyond Reconstruction”, de Sara Navarro, mostra uma matriz de fragmentos cerâmicos que resultaram da construção e desconstrução de uma figura.

A exposição inclui, ainda, uma terceira parte, “Inelegible’, que reúne artefactos de uma escavação em São Francisco. “Nessa escavação foram encontrados artefactos sem qualquer valor, que foram enviados em caixas para artistas e arqueólogos de todo o mundo para que, sem conhecer o contexto onde foram encontrados, criassem novos trabalhos artísticos que levantassem questões sociais e politicas”, explicou o arqueólogo.

Já Sara Navarro explica que “as três instalações estão ligadas por um tema comum que propõe outras coisas que podem ser feitas com objetos arqueológicos que não seja recuperar o passado”, nomeadamente “de que forma podemos usar os objetos arqueológicos para questionar temas do nosso quotidiano”.

Doug Bailey, Sara Navarro e muitos dos artistas com peças que integram a exposição marcaram presença na inauguração e deram a conhecer as várias motivações que lhes deram origem. Sobre o MIEC, Doug Bailey sublinhou estar perante um “sítio único que mistura a arte e arqueologia”, numa clara referência à união com o Museu Municipal Abade Pedrosa, enquanto a escultora portuguesa se congratulou com a presença num concelho “no qual a arte faz a diferença”.

No âmbito da exposição, decorreu ainda uma conferência internacional que explorou o potencial entre a arte e a arqueologia, com um painel de oradores que para além de Doug Bailey incluiu artistas da Finlândia, Suécia, Alemanha e Israel.

Creative (un)makings: disruption in art/archaeology” pode ser visitada até 14 de junho.

Comentários