HOME Desporto
Paços bate Moreirense e deixa zona de despromoção

Haveria melhor maneira de começar 2020 do que com uma vitória que permitisse à equipa respirar finalmente fora da zona de perigo na tabela classificativa? Dificilmente!… e foi por essa meta que a equipa lutou exaustivamente ao longo dos 99 minutos de jogo com o Moreirense, merecendo o saboroso triunfo (1-0). Este era um jogo-chave para o Paços e a equipa assumiu-o com coragem e ambição. Mesmo com algumas ausências de habituais titulares e a estreia do reforço Adriano Castanheira a titular nos pacenses, desde o primeiro minuto que o «onze» se revelou muito compacto e agressivo na procura da bola, perante um Moreirense com dificuldade em adaptar-se a essa pressão pacense. A posse de bola foi repartida na primeira fase do encontro e seria um lance de bola parada a decidir a partida. Aos 15’, Hélder Ferreira bateu um pontapé de canto para a área e o guarda-redes Mateus Pasinato chocou contra os seus defesas, deixando a bola à mercê da oportunidade de Bruno Santos, que atirou a bola para o fundo das redes, marcando o seu primeiro golo na I Liga. Um belo momento do lateral direito pacense e que se revelaria decisivo para a vitória dos Castores. O Paços ficou então melhor no jogo e, aos 23’, foi a vez de Douglas Tanque rematar à figura do g.r. adversário, respondendo o Moreirense por Bilel, aos 28’, em remate que Ricardo Ribeiro desviou para canto. Com o relvado a revelar a consequência de longas semanas de chuva na região, a bola rolou pouco e, até ao intervalo, não houve nada mais digno de registo.
O segundo tempo voltou a começar com um Paços mais ofensivo e, aos 49’, teve a grande oportunidade de elevar o marcador. Douglas Tanque assistiu Murilo na área, mas este não conseguiu evitar a mancha do guarda-redes e gorou-se a oportunidade. Entretanto, uma entrada violenta de Rosic “arrumou” Hélder Ferreira da partida e merecia ter sido penalizada com cartão vermelho, embora Hélder Malheiro se tenha ficado pelo amarelo… foi a fase de maior luta no jogo, construindo o Paços, mesmo assim, uma bela jogada coletiva (69’) que terminou com um remate intencional de Luiz Carlos para defesa difícil de Pasinato. O último quarto de hora de jogo fez o Paços apelar ao espírito de sacrifício da equipa e foi intensa a união em campo e o apoio dos adeptos na bancada, que em conjunto conseguiram segurar tão preciosa vitória. O Paços não falhou quando mais era necessário e agora está acima da «linha de água» pela primeira vez esta temporada. Um sinal claro do espírito desta equipa, que todos queremos ver confirmado no próximo sábado em Portimão (15h30), quando defrontar o agora 17º classificado, na 16ª ronda da Liga.

Estádio Capital do Móvel (2613 espectadores)

Árbitro: Hélder Malheiro (Lisboa), auxiliado por Rui Cidade e Carlos Covão.
Disciplina: Cartão Amarelo; Vasco Rocha (24′), João Aurélio (37’), Rosic (58’), Alex Soares (72’), Bruno Teles (81’); Pedro Nuno (81’), Oleg (86’) e João Amaral (90’+1). O treinador Pepa viu cartão amarelo (81’).

FC PAÇOS DE FERREIRA: Ricardo Ribeiro; Bruno Santos, Marco Baixinho, Maracás e Bruno Teles; Luiz Carlos, Vasco e Hélder Ferreira (Oleg, 63’); Adriano, Douglas Tanque (André Micael, 84) e Murilo (João Amaral, 55’).
Não utilizados: Simão; Zé Uilton, Welthon e Diogo Almeida.
Treinador: Pepa

MOREIRENSE FC: Mateus Pasinato; João Aurélio, Iago, Rosic e Djavan; Fábio Pacheco, Pedro Nuno e Filipe Soares; Luís Machado (Nenê, 76’), Fábio Abreu e Bilel (Alex Soares, 64’).
Não utilizados: Trigueira, Halliche, D’Alberto, Sori Mané e Texeira.
Treinador: Ricardo Soares

Ao intervalo: 1-0

Resultado final: 1-0

Marcador: 1-0 Bruno Santos (15’).

Comentários