Cultura
“Gaveta” encheu para a apresentação da obra “Nos braços do vagabundo”

A jovem escritora Letícia Brito, natural e residente em Paços de Ferreira, apresentou na ultima sexta-feira à noite o seu primeiro livro “Nos Braços do Vagabundo”.

O certame teve lugar na Gaveta, espaço cultural instalado junto ao Parque Urbano da cidade de Paços de Ferreira que encheu para ouvir a história pessoal desta jovem.

14731347_1214382261961565_5349954244448848095_nSobe a chancela da Chiado Editora, representada neste evento por Edgar Maia, a apresentação esteve a cargo de Maria José Ferreira que foi docente da escritora, e contou com a presença de, Humberto Brito, presidente da Autarquia pacense, contando também com a fadista Margarida Rodrigues que interpretou um tema de um poema escrito pela jovem autora.

Na sua Presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, Humberto Brito, lembrou que a iniciativa decorre no Ano Municipal da Juventude, e que a apresentação do livro é resultado da aposta deste Executivo Municipal na promoção de jovens escritores e do espaço “A Gaveta” destinado a todos os jovens do concelho que desejem expressar as mais diversas expressões artísticas. “Hoje Paços de Ferreira tem um Executivo Municipal aberto à comunidade e que se propõe ser parceiro em iniciativas culturais e em revelar novos talentos, sendo um concelho cosmopolita aberto às várias manifestações artísticas e empenhado em descobrir novos talentos na Literatura, na Pintura, na Dança e noutras formas de manifestação artística. “

O enredo baseia-se a história de uma jovem (Sofia) que irá sofrer, a leucemia levou o pai dessa personagem, ela perdeu o amor em sua vida e em seguida a depressão a quase fez perder a própria vida. Ao longo do enredo ela enfrentará a dualidade entre seu próprio passado e o futuro que deseja ter, enquanto tenta reconquistar quem ama.

A autora

Letícia Brito nascida a 3 de dezembro de 1996, natural e residente no Município de Paços de Ferreira, é uma jovem apaixonada pela escrita. Formada em Fotografia, outra das áreas que a apaixona, ambiciona prosseguir o sonho que a move desde os 10 anos, quando começou a dar os primeiros passos na escrita enquanto tentava imitar a irmã mais velha.

A autora tem uma escrita irreverente, dramática, intimista e sobretudo romântica. Abordando desde temas como a política, a sociedade à impressibilidade do amor, é uma apaixonada pela vida.

Escreve com a alma e os seus textos tem sido protagonistas em grandes comunidades nas redes sociais, atingindo várias partes do mundo, cativando não somente os portugueses, mas até brasileiros com quem já tem colunas oficiais.

Entre 2013 e 2015 teve a oportunidade de fazer estágios nos jornais de Paços de Ferreira (Tribuna Pacense e Imediato) o que lhe permitiu uma integração maior no mundo da escrita.

Em Outubro de 2015, Letícia Brito foi a grande vencedora do concurso nacional “Geração Arte” promovido pelo diário “Correio da Manhã”.

Vê agora o seu sonho de menina ser concretizado, assinando a sua primeira obra “Nos Braços Do Vagabundo”, um thriller cativante e dramático, sobre uma das temáticas que tem sensibilizado o mundo no último século; a depressão, aliado ao sentimento mais poderoso de todos – o amor.

Sipnose

No amor não há contas, se somares um mais um, o resultado não será matemático, o resultado é um. Sofia e Francisco eram a prova viva de que no amor não há espaço para equações, quando equacionavam os corpos, equacionavam as almas e eram apenas um só. Desde os dezassete anos, o plano deles fora bem simples: ficar juntos para o resto das suas vidas. Um plano que qualquer outra pessoa do seu círculo de amigos concordaria ser praticável. Mas um dia, invejoso, o destino resolveu separar os dois jovens e levar Sofia ao extremo de uma depressão que quase lhe tirou a vida.

Na primeira parte desta narrativa, Sofia ter-nos-ia dito que é impossível superar a perda do primeiro amor. Ser forte sozinha não é a melhor opção. Desistir do amor, também não. E Sofia sabia melhor do que ninguém que aquele amor que a consumia, poderia resultar, porque o amor tem essa particularidade: se é verdadeiro, supera todas as dores.

Nos Braços Do Vagabundo é um thriller apaixonante, cativante, dramático e emocionalmente manipulador sobre a doença do séc. XXI; a depressão, aliada ao sentimento mais poderoso de todos – o amor, porque o amor não é amor se não doer e se não for sentido com profundidade.

By Luis Filipe Maia