Geral
COMUNICADO: PS Vila das Aves

psO Partido Socialista de Vila das Aves não tem dúvidas de que o abandono de um conjunto de elementos da organização da “Corrida Aves em Movimento”, em rota de colisão com a Junta de Freguesia de Vila das Aves, representa uma inaceitável tentativa por parte da presidente Elisabete Faria de instrumentalizar politicamente uma iniciativa desportiva iniciada com sucesso em 2015. O teor do comunicado do grupo de elementos da organização da primeira edição da corrida confirma o oportunismo político da Junta de Freguesia de Vila das Aves e uma ilegítima imposição da vontade da presidente Elisabete Faria para com parte dos membros que compunham o grupo organizador do evento desportivo.

A presidente de Junta de Vila das Aves não desrespeitou apenas um conjunto de voluntários que se organizaram em 2015 para pôr em marcha uma iniciativa que, logo na primeira edição, se saldou por um grande sucesso, mas também toda a população da freguesia de Vila das Aves, uma vez parecer claro que o objetivo era partidarizar a corrida.

A presidente de Junta de Vila das Aves apregoa uma coisa, nomeadamente os valores da Democracia e do diálogo, mas faz outra completamente diferente, revelando um comportamento autocrático, prepotente e de desrespeito institucional.

Se dúvidas houvesse, Elisabete Faria provou com a polémica em torno da demissão de um grupo de elementos da organização da “Corrida Aves em Movimento” que é adepta de uma política de facto consumado e tem uma postura assente no princípio do “quero, posso e mando”.

Caso a presidente de Junta de Vila das Aves não fugisse ao diálogo e estivesse verdadeiramente comprometida com a verdade e com a defesa dos interesses da população da freguesia, já teria esclarecido o seguinte:

 Por que razão escolheu a presidente de Junta de Vila das Aves pessoas da sua cor política para a organização da segunda edição da “Corrida Aves em Movimento”?

 Quem é, afinal, o elemento com quem a presidente de Junta “cozinhou”, de acordo com o comunicado tornado público pelos elementos que abandonaram a organização da prova, as alterações na estrutura organizativa da corrida?

 A verba arrecadada com as duas mil inscrições verificadas na primeira edição da prova seria para investir na colocação de equipamento de manutenção desportiva no Parque Do Amieiro Galego. Onde param as máquinas? E a verba?

O PS/Vila das Aves desafia a presidente de Junta de Vila das Aves a esclarecer a população de Vila das Aves sobre este polémico caso, se, de facto, Elisabete Faria tem um compromisso com a verdade dos factos e com a população da freguesia que representa.

Vila das Aves, 12 de agosto de 2016 O PS/Vila das Aves

Comentários