Sociedade
Pantir é a primeira panificadora do país a reduzir sal no pão

A panificadora de Santo Tirso Pantir foi esta segunda-feira a primeira empresa em Portugal a receber o Selo Pão com “Menos Sal, o mesmo sabor”, no âmbito do projeto do Ministério da Saúde que visa reduzir a percentagem de sal na produção do pão. “É um orgulho para o nosso Município sermos pioneiros nesta área”, reconheceu o presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto, que enquanto deputado na Assembleia da República foi um dos percursores da lei de redução do sal no pão.

Da broa à regueifa, do pão regional ao pão saúde. Todas as variedades de pão produzidas pela Pantir têm, atualmente, um baixo teor de sal. Em pouco mais de um mês, a panificadora de Santo Tirso foi reduzindo paulatinamente os gramas de sal no fabrico, tendo atingido um grama de sal por 100 gramas de produto.

“A experiência de redução do sal foi feita de forma a que as pessoas não notassem as diferenças e as reações têm sido boas. Não temos tido queixas”, explicou Paulo Almeida, da administração da Pantir, garantindo que a reação dos clientes tem sido “normal”.

Este processo valeu à panificadora a atribuição do primeiro selo de excelência a nível nacional, numa cerimónia que contou com a presença do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo. Os portugueses, lembrou o governante, “consomem, em média, por dia, mais três gramas de sal do que o recomendado. E, de acordo com o último Inquérito Alimentar Nacional, o pão é um dos principais alimentos a contribuir para a ingestão de sal”.

“No próximo ano, queremos chegar às escolas e ao Ensino Superior, num plano que visa reduzir o sal no pão em 70 por cento”, apontou Fernando Araújo, acrescentando: “De acordo com os testes realizados, não se nota diferença no sabor”.

Neste contexto, “e sabendo-se que o consumo excessivo de sal é um dos maiores riscos de saúde pública em Portugal e aquele que mais contribui para a perda de anos de vida saudáveis”, apontou o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, “medidas como esta irão conduzir a melhores resultados em saúde”.

Já o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto, lembrou que o objetivo nacional é “trabalhar em prol da saúde das pessoas e dos portugueses”. “O nosso objetivo, através das políticas municipais, ou em colaboração com o Ministério da Saúde e outras instituições do Estado, é continuar este trabalho a bem da saúde e de Portugal”, realçou Joaquim Couto, que enquanto deputado na Assembleia da República, em colaboração com o antigo deputado Jorge Almeida, em 2009, conseguiu aprovar por unanimidade a aplicação, agora, da lei do sal. O facto de Santo Tirso ser uma das cidades pioneiras nesta área, é a “cereja em cima do bolo”, reconheceu o autarca.

A Pantir foi fundada em 1974, em Santa Cristina do Couto, tendo atualmente duas unidades de produção e fabricando cerca de 45 mil pães por dia. Tem, ainda, 18 lojas dispersas por Santo Tirso e Trofa, sendo fornecedora de outras padarias, escolas e estabelecimentos de restauração, nos concelhos do Santo Tirso, Trofa, Porto, Matosinhos, Maia e Paços de Ferreira.

As padarias que pretendam receber um Selo Pão com “Menos Sal, o mesmo sabor” poderão candidatar-se até ao dia 31 de maio, bastando para isso preencherem um formulário disponível no Portal do SNS (https://www.sns.gov.pt/pao-com-menos-sal/), que terão de enviar posteriormente para o e-mail paomenossal@dgs.min-saude.pt.

Depois da candidatura e seleção, segue-se um período de monitorização de até seis meses, com análises feitas pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), com base em recolhas de pão em dois momentos distintos. Os selos deverão ser entregues em dezembro de 2018 e terão a validade de um ano. Ao fim desse ano, terá de haver novo pedido de monitorização aos níveis de sal.

O objetivo desta iniciativa da Direção Geral da Saúde (DGS), do INSA e dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), em colaboração com as panificadoras e pastelarias, é conceder uma distinção pública às padarias que alcancem a ambiciosa meta de menos de um grama se sal por 100 gramas de produto ainda este ano, ou seja, antes do período definido no compromisso firmado no passado dia 16 de outubro.

O protocolo foi assinado no âmbito da Estratégia Integrada para a Promoção da Alimentação Saudável e estabelece metas de 1,3 gramas de sal por 100 gramas em 2018; 1,2 gramas por 100 gramas em 2019; 1,1 grama de sal por 100 gramas em 2020 e abaixo de um grama por 100 gramas em 2021.

PUB.