Atualidade
Centro Interpretativo do Monte Padrão celebrou 10º aniversário

PROGRAMA COMEMORATIVO CONTOU COM VISITAS GUIADAS, MOMENTOS MUSICAIS E UM CICLO DE CONFERÊNCIAS

É um dos equipamentos culturais mais visitados do concelho, e há uma década que conta a história do Município, de uma forma arqueológica. O Centro Interpretativo do Monte Padrão fez 10 anos, e contou, durante quatro dias, com um programa comemorativo diversificado, promovido pela Câmara de Santo Tirso.

Dez anos de existência reafirmam o caráter de referência cultural no concelho ao Centro Interpretativo do Monte Padrão. Para assinalar o 10º aniversário deste espaço, a Câmara de Santo Tirso promoveu, entre os dias 18 e 21 de abril, um programa comemorativo repleto de iniciativas.

“O Monte Padrão faz parte do Parque Metropolitano de Monte Córdova, sendo uma das grandes atrações turísticas de Santo Tirso, pela questão da arqueologia e da própria Natureza, já que Monte Córdova é uma zona verde por excelência. É, além disso, um dos equipamentos culturais mais visitados ao longo de todo o ano”, explicou aos jornalistas o vereador da Cultura, Tiago Araújo, na sessão de abertura do I Ciclo de Conferências do Monte Padrão, que decorreu a 20 de abril.

Assumindo caráter de ex-libris cultural do Município, o Centro Interpretativo do Monte Padrão recebe, por ano, entre 80 e 90 mil visitantes. Aqui, é possível visitar um espólio arqueológico, com informação científica, que contextualiza o Monte Padrão no território Norte.

A sessão comemorativa dos 10 anos foi assinalada com um programa festivo que incluiu visitas guiadas, atividades pedagógicas, música e também um Ciclo de Conferências.

Para António da Ponte, diretor regional da Cultura do Norte, o espaço é um modelo de comunicação com o público. “A criação deste Centro Interpretativo, que assinala os seus 10 anos, é um modelo de trabalho que, cada vez mais, estamos a procurar solidificar neste território, e em concreto na Rede de Castros do Norte. O Monte Padrão é, desde a primeira hora, Castro integrado nesta rede, reforçando o seu papel na história, mas também reforçando o seu papel na dinâmica de valorização e consolidação dos conhecimentos e na sua transmissão para os públicos”, elogiou.

O programa de festividades do Centro Interpretativo terminou com um concerto dos Gaiteiros de Lisboa, no passado sábado, momento musical que marcou as celebrações.

Comentários