Sociedade
Apresentado novo polo da CAID na zona nascente do concelho

14330153_651104121726337_841324317840592796_nFoi apresentado esta segunda-feira, 19 de setembro, o projeto para a construção do novo polo da CAID – Cooperativa de Apoio à Integração do Deficiente. A sessão de apresentação teve lugar no edifício da antiga sede da junta de freguesia de São Salvador do Campo, local onde ficará sediado o novo polo da instituição.

Criar respostas para a lista de espera na área da deficiência é o objetivo do novo pólo da CAID – Cooperativa de Apoio à Integração do Deficiente, cujo projeto foi hoje apresentado. A ideia é que dentro de ano e meio um novo Centro de Atividades Ocupacionais possa funcionar no edifício da antiga Junta de Freguesia de São Salvador do Campo. O espaço, cedido pela Câmara Municipal de Santo Tirso, sofrerá obras de adaptação e ampliação, num investimento de 700 mil euros.

“Este centro é extremamente importante para o concelho. Com este polo, Santo Tirso passará a ter, para a área da deficiência, uma infraestrutura na zona poente e uma outra na zona nascente. Não resolve todos os problemas mas vem ajudar em muito as necessidades atuais nesta área”, explicou Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal.

“Este não é um edifício de raiz, e por isso mesmo necessita de ser adaptado às regras da Segurança Social. O projeto está pronto e as obras podem ir-se fazendo faseadamente” acrescentou.

O projeto será alvo de uma candidatura a fundos comunitários, que tem já o aval da Segurança Social. Após a garantia de financiamento para a obra, o novo polo levará cerca de nove meses a estar concluído, e estará apto a dar resposta às 35 pessoas que se encontram em lista de espera.

Para esta nova valência, em São Salvador do Campo, está prevista a criação de um gabinete de apoio médico, psicologia e serviço social, uma sala de fisioterapia, uma sala snoezelen, duas salas de atividades, duas oficinas para pintura e olaria e salas administrativas. A obra engloba ainda a construção de uma sala polivalente para convívio e refeições, bar, cozinha e lavandaria.

Para além do polo em Fontiscos, a CAID conta ainda com residências autónomas, estruturas complementares de acolhimento a pessoas adultas, cuja retaguarda familiar é pequena ou não existe. Depois das recentes inaugurações de novos espaços na zona poente do concelho, a autarquia pretende criar residências semelhantes na zona nascente. “Queremos abrir mais e acredito que nascerão naturalmente com a abertura do segundo polo. São respostas muito importantes porque constituem um lar, uma casa, um sítio para viver para além do centro ocupacional”, conclui o autarca.

Comentários