Sociedade
Câmara investe 700 mil na requalificação da Escola de Bom Nome

A Câmara Municipal de Santo Tirso vai avançar com a requalificação da EB1 do Bom Nome, em Vila das Aves. As obras arrancam já no próximo mês de julho, envolvem um investimento de cerca de 716 mil euros, e preveem “uma intervenção profunda” nas instalações, como anunciou esta segunda-feira o presidente da autarquia, Joaquim Couto, após uma visita ao local.

“Trata-se de um edifício escolar com cerca de 40 anos, que apenas teve uma pequena requalificação há cerca de 10 anos. Em 2015, investimentos 70 mil euros na retirada do amianto e em 2016 conseguimos garantir o financiamento para uma intervenção mais profunda, que agora se vai concretizar”, explicou o autarca.

O projeto, orçado em cerca de 716 mil euros, 85 por cento do qual financiado pelo Norte 2020, no âmbito de uma candidatura apresentada pela Câmara de Santo Tirso, visa requalificar todo o edifício e arranjos exteriores. Para além das pinturas, as obras contemplam intervenções nas coberturas, fachadas, caixilharia, remodelação das instalações sanitárias e cozinha.

Como sublinhou Joaquim Couto, “não estamos a falar em obras de cosmética. Acreditamos que esta requalificação vai melhor, significativamente, as condições de alunos, professores e pessoal não docente”.

A par do edifício, as obras englobam ainda arranjos exteriores, a construção de recreios, com novos cobertos e parque infantil.

No atual ano letivo, frequentam a EB1 do Bom Nome 215 alunos, dos quais 43 são do pré-escolar, com oito professores e 10 funcionários. Sobre o facto de as obras estarem a decorrer no período de aulas, dado que a requalificação só deve ficar concluída no primeiro trimestre de 2018, Joaquim Couto garantiu que a Câmara que não haverá interrupção de aulas.

“Esta é uma questão que está a ser articulada com a direção da escola. Estarão garantidos almoços e prolongamentos de aulas, nas mesmas condições que tinham até agora”, assegurou.