Sociedade
Casa cheia no jantar solidário da CAID

A nave cultural da Fábrica de Santo Thyrso voltou a encher para mais um jantar da Cooperativa de Apoio à Integração do Deficiente (CAID). Mais de mil pessoas fizeram questão de marcar presença no evento de cariz solidário, que decorreu na passada sexta-feira, este ano sob o tema “Casulo”. O guarda-redes do Clube Desportivo das Aves, Quim, e a cantora do grupo Lince, Sofia Ribeiro, apadrinharam a causa.

O despertar e desenvolver dos sonhos, representados em forma de casulo, foi o mote para mais uma edição do jantar anual da CAID. Os utentes foram as grandes estrelas da noite, protagonistas de várias atuações.

“Quem vive esta festa emociona-se pela perseverança e tenacidade destes jovens, que alguns casos já são adultos. É com muito orgulho que vemos também os técnicos, a organização, os dirigentes e todos aqueles que trabalham pela população com deficiência, a forma como se dedicam a estre trabalho com carinho e voluntarismo, que ultrapassa muitas vezes aquilo que pensamos. Obviamente que, enquanto presidente da Câmara, não posso estar mais satisfeito por esta instituição, que criei em 1998, estar a funcionar como está e ter este reconhecimento público”, declarou aos jornalistas o presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto.

Este ano, o guarda-redes Quim e a cantora Sofia Ribeiro (Lince) foram os padrinhos da instituição, que assinalou a festa anual com a temática do “Casulo”.

Para Alberto Costa, presidente da direção da CAID, a instituição vive um momento de crescimento: “Esta festa é, o fundo, uma demonstração daquilo que fazemos durante o ano todo, mas é um bocadinho mais especial. Hoje, sentimos que a família CAID está cada vez maior, sendo que até tivemos alguma dificuldade em travar as inscrições, porque já não havia possibilidade de receber mais pessoas neste espaço. Atualmente, as pessoas estão próximas da CAID e querem-se envolver no projeto”.

A CAID apoia, atualmente, cerca de 180 estudantes, divididos entre os Centros de Atividade Ocupacionais e os utentes das escolas. Em breve, a instituição vai ganhar um novo polo, a ser construído na antiga sede da junta de freguesia de São Salvador do Campo, que permitirá apoiar ainda mais utentes.

“O tema casulo surge também nesse âmbito, porque temos pela frente grandes sonhos, e queremos desenvolver esses sonhos de uma forma bem consistente, dentro do casulo, por forma a que quando saírem de lá se transforme numa grande borboleta, num grande projeto. E esse grande projeto é, sem dúvida, o nosso polo da CAID em São Salvador do Campo”, acrescentou Alberto Costa.

A CAID pretende brevemente avançar com respostas também na área terapêutica e da saúde.