Geral
Andreia Neto avança com queixa-crime por violação da sua correspondência
  Este sabado, 13 de maio, Andreia Neto, candidata à presidência da Câmara Municipal de Santo Tirso, convocou uma conferência de imprensa para informar que pretende avançar com uma queixa-crime devido à violação da sua correspondência privada, assim como a adulteração e falsificação de documentos, uma situação que considera ultrapassar os “limites da luta democrática”.

“Tivemos conhecimento que vários, senão todos os funcionários da Câmara Municipal de Santo Tirso, receberam nos endereços eletrónicos respetivos um conjunto de conversas entre mim e elementos da minha candidatura”, explicou a candidata aos jornalistas presentes. “Não obstante serem falsas ou deturpadas e adulteradas, constituiriam sempre conversas privadas entre cidadãos”.

Andreia Neto garante que não deixará passar impune esta violação da sua privacidade, uma vez que, como sublinhou, “apesar de ser candidata à Câmara Municipal de Santo Tirso não abdico de nenhum dos meus direitos fundamentais”.

Por conseguinte avançou com uma queixa-crime, pelo que “compete agora à justiça, que espero célere, fazer a competente investigação”, explicou.

Apesar de a queixa-crime ser contra desconhecidos, Andreia Neto disse ainda que “tudo parece induzir que a disseminação torpe e vil daquelas conversas partiu da Câmara Municipal, porque parecem ser os únicos interessados em denegrir pelo nervosismo que a nossa candidatura e a sua adesão lhe têm causado, e porque a base de dados utilizada só pode ter sido da Câmara”.

Relembrou ainda que se tal se verificar, a responsabilidade legal e política é do atual presidente da Câmara, pelo que espera que “o presidente da Câmara, como principal interessado, esclareça tudo o que se passou”.

Comentários