Cultura
Mercado Nazareno com uma das melhores edições de sempre

A quarta edição do Mercado Nazareno não deixa margem para dúvidas: a tradição Pascal de Santo Tirso já se afirmou dentro do país e além-fronteiras. Durante quatro dias, milhares de visitantes portugueses e estrangeiros passaram pela Praça 25 de Abril, para ver e reviver as mais vivas recriações da época de Cristo.

Santo Tirso já é destino obrigatório em época de celebração Pascal. Milhares de pessoas passaram pela Praça 25 de Abril, confirmando que a diversidade cultural de turistas é já uma referência.

“Se ainda havia dúvidas, a quarta edição do Mercado Nazareno consagra esta iniciativa da Câmara Municipal como uma afirmação no concelho e também no país. Tivemos nestes quatro dias muitos milhares de visitantes, que vieram não só de concelhos vizinhos como de diferentes pontos do país. Nos últimos anos já era crescente o número de visitantes espanhóis, da Galiza, mas este ano foi notória uma diversidade cultural ainda maior, dado que recebemos também franceses, brasileiros, e muitos emigrantes que, passando por Portugal, quiseram vir conhecer o Mercado Nazareno. É uma iniciativa que continua a ganhar asas, e cuja projeção muito nos orgulha”, explicou Joaquim Couto.

Durante quatro dias, a Praça 25 de Abril tornou-se uma autêntica aldeia histórica, com diferentes espaços de comércio e gastronomia, animais vivos, produtos tradicionais, recriações dos ofícios da época, dinamizados por cerca de 80 artesãos e gastrónomos. Mais de 100 atores e figurantes deram ainda vida a mais de 20 recriações históricas, que fizeram os visitantes viajar no tempo, até à época de vida de Jesus Cristo.

“É um tempo muito especial, sobretudo para os católicos, mas que de uma forma geral sensibiliza a população. Estas recriações históricas, a divulgação dos passos bíblicos que aqui são feitas, são muito importantes para a maioria das pessoas compreender a história, a vida e a mensagem de Jesus Cristo”, afirmou o autarca.

Na sexta-feira, foram várias as recriações que marcaram o arranque do Mercado Nazareno, nomeadamente o Batismo e a Via Sacra. O primeiro dia ficou ainda marcado por um dos momentos mais altos e emotivos da iniciativa: a Crucificação. Sábado, 15 de abril, o Calvário e o Vale dos Mortos foram o palco para a Descida da Cruz e Enterro, dando partida a uma tarde de diferentes recriações. Em dia de Páscoa, domingo, foram muitos os que quiseram assistir à Ressurreição e Aparição de Jesus Cristo, outros dos momentos marcantes das recriações bíblicas. Já na segunda-feira entre os vários momentos históricos puderam reviver a Última Ceia, cena em registo flashback.

Para Joaquim Couto, esta é uma iniciativa fundamental para a dinamização turística do Município. “Só nos primeiros dois dias do Mercado Nazareno, o número de visitantes cresceu significativamente, em relação ao ano passado. É uma viagem no tempo que permite, simultaneamente, proporcionar dias diferentes às pessoas do concelho, e promover o concelho regionalmente e além-fronteiras. E quando falamos em dinamização, falamos não só de uma iniciativa que leva o nome de Santo Tirso mais longe, mas que dinamiza a economia e o comércio locais, traz pessoas aos nossos hotéis, aos nossos restaurantes, aos nossos parques; pessoas essas que terão, com certeza, vontade de cá voltar”.

No Mercado Nazareno houve ainda espaço para uma zona de diversão infantil, com brinquedos tradicionais, que fizeram a delícia de miúdos e graúdos. Durante todos os dias, os visitantes puderam assistir a demonstrações da beleza e agilidade dos falcões e aves de rapina.