Atualidade
Duas casas já foram demolidas no Nó do Barreiro

Já estão demolidas as duas casas localizadas no nó do Barreiro, cujo espaço será ocupado pela rotunda que integra o projeto de requalificação daquela zona. Este foi o primeiro passo do arranque de uma obra, cujo concurso público está a decorrer.

A reformulação do nó do Barreiro deve arrancar no verão, permitindo resolver o problema de trânsito do cruzamento entre a EN105 e a EM209-2, em S. Tomé de Negrelos. Enquanto decorre o concurso público para adjudicação da empreitada, lançado em março, a Câmara de Santo Tirso já avançou com a demolição de duas casas.

“Quisemos dar um sinal claro à população que este projeto é para ser concretizado. Temos vindo a cumprir os nossos compromissos e a reformulação do nó do Barreiro será, com certeza, uma realidade”, garante o presidente da autarquia, Joaquim Couto.

Nos terrenos das casas agora demolidas, irá nascer a rotunda contemplada no projeto negociado com a Infraestruturas de Portugal e que significará um investimento de cerca de um milhão de euros.

A intervenção contempla obras na EM 209, na Rua do Espírito Santo e ainda no cruzamento da Casa do Povo, onde será criado o futuro acesso ao Centro Escolar, que engloba a Escola da Ponte a Escola EBI de S. Tomé de Negrelos.

O projeto prevê, ainda, a requalificação dos arruamentos e a intervenção ao nível da zona de circulação pedonal, rede de drenagens pluviais e iluminação.

“Trata-se de um projeto estruturante para o concelho de Santo Tirso, uma vez que esta obra vai, finalmente, solucionar um constrangimento de trânsito grave. Esta é uma obra há muito reivindicada pela população de S. Tomé de Negrelos, mas que vai trazer grandes benefícios a todo o concelho”, sublinha Joaquim Couto.

Um estudo de tráfego do gabinete projetista aponta a passagem de cerca de 1841 veículos por hora no período da manhã e 1895 por hora, no período da tarde.

 

 

Comentários