Sociedade
Câmara de Santo Tirso preocupada com os idosos de hoje e de amanhã

“Boas práticas em gerontologia para idosos de hoje e de amanhã” foi o tema em destaque na Fábrica de Santo Thyrso, na passada sexta-feira. Promovido pela Câmara Municipal, o 1º Seminário em Políticas e Intervenções Gerontológicas recebeu instituições de todo o país, que se juntaram para debater um tema cada vez mais intemporal.

“O objetivo deste seminário traduziu-se, essencialmente, em aumentar o debate sobre uma questão que preocupa a autarquia. A Câmara investe mais de 60% do seu orçamento em questões sociais, e através destas iniciativas conseguimos perceber que políticas ativas e de apoio ao envelhecimento saudável podemos adotar no nosso concelho”, realçou o vereador da Coesão Social, José Pedro Machado.

A iniciativa reuniu instituições de todo o país, como a Universidade de Aveiro, o Centro Comunitário da Gafanha do Carmo e a Escola Superior de Educação de Viseu, entre outras, proporcionado, segundo o vereador, “um painel de oradores fantástico”. “São profissionais que dedicam a sua vida ao tratamento das questões ligadas com os seniores, e com quem podemos aprender muito. Daí a importância de trocar opiniões e partilhar experiências”, acrescentou.

Recentemente, projeções do Instituto Nacional de Estatística apontam que, até 2080, o índice de envelhecimento em Portugal irá mais do que duplicar, passando de 147 para 317 idosos por cada 100 jovens.

Dados que, de acordo com o diretor do Centro Distrital da Segurança Social do Porto, Miguel Cardoso, justificam este tipo de iniciativas: “Este evento demonstra que a Câmara Municipal de Santo Tirso está atenta e tem a noção de que é preciso debater e dialogar com as pessoas, com os munícipes, com as instituições e, no fundo, com toda a sociedade civil, bem como com os órgãos do Estado, para tentar arranjar respostas para os problemas”.

Segundo Miguela Cardoso, existe “uma carga demográfica com uma faixa etária cada vez mais alta, algumas com necessidades especiais, e é necessário conciliar vontades e capacidades para encontrar respostas num futuro muito próximo”.

“Práticas Comunitárias e Integrativas”, “Modelos de Intervenção para Pessoas Idosas”, “Os Idosos de Amanhã-Planear o Futuro” e “Formas Alternativas de Fazer Informação”, foram alguns dos temas em discussão nesta primeira edição.

Comentários