Cultura
“Nunca vi nenhum lugar levar tanta gente à poesia e a poesia a tanta gente”

Dezoito dias com mais de 50 atividades, espalharam a poesia por Santo Tirso. Sob o mote “E o grito se fez verbo”, a “Poesia Livre”, promovida pela Câmara Municipal, voltou a envolver escolas, associações e toda a comunidade local na arte do texto lírico. Manuel Alegre foi o grande homenageado desta edição, e quis ver de perto algumas das iniciativas que lhe prestaram tributo.

“Nunca vi sítio nenhum levar tanta gente à poesia e levar a poesia a tanta gente, portanto o que Santo tirso está a fazer é uma coisa única no país, na Europa e no mundo”. Foram estas as palavras de Manuel Alegre na sessão solene em sua homenagem, que decorreu no átrio da Câmara Municipal, no passado sábado, e na qual participaram várias escolas do concelho.

O poeta, autor e político, grande homenageado desta edição da “Poesia Livre”, participou, no passado fim de semana, num Sarau de Poesia na Escola Secundária Tomaz Pelayo e num debate sobre poesia e cidadania na Escola Básica da Ponte. No sábado, uma noite que foi sua, não poupou elogios a um evento que é já marca do Município.

“Estou muito comovido, muito enternecido, porque foram dois dias inesquecíveis os que presenciei, de envolvimento de muita gente na poesia, de professores, de alunos e de gente adulta”, enalteceu, em declarações aos jornalistas. Durante a sessão, Manuel Alegre ouviu a declamação de diversos poemas, encerrou a noite com versos da sua autoria.

Durante 18 dias, mais de 50 atividades compuseram a programação da “Poesia Livre”, sob o mote “E o grito se fez verbo”. Escolas, associações e comunidade em geral foram convidadas pela Câmara Municipal a desenvolver uma série de ações que dinamizassem o texto lírico e que colocassem Santo Tirso a falar de poesia.

“Ouvir do Manuel Alegre que estamos perante um Município e uma iniciativa que se dedica à Poesia, um concelho em que a poesia é importante e em que o texto lírico percorre os autocarros, a praça pública, as pastelarias, a Câmara Municipal, é para nós muito elogioso, diria que quase um prémio, um estímulo para continuar este caminho”, afirmou o presidente da autarquia de Santo Tirso, Joaquim Couto.

Para além do fomento da cultura e da educação dos mais jovens, esta é, para Joaquim Couto, uma iniciativa que proporciona a ativação da economia local: “Nestes dias em que houve poesia na rua, sobretudo este fim de semana, os nossos hotéis, os nossos restaurantes, a cidade em si encheu-se de gente, ou porque participa nas iniciativas, ou porque destas iniciativas resultou o conhecimento da cidade, e necessariamente daí resulta um estímulo para a nossa economia local”.

A “Poesia Livre” regressa a Santo Tirso em 2018.