Cultura
Melhores escultores portugueses em Santo Tirso

“Quinze Escultores” é o nome da exposição que o ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, vai inaugurar no próximo dia 3, sexta-feira, pelas 21h30, no Museu Internacional de Escultura Contemporânea, em Santo Tirso. Uma mostra que reúne os melhores e mais importantes escultores portugueses. Pedro Cabrita Reis, José Pedro Croft, Alberto Carneiro, Ângela Ferreira são apenas alguns dos escultores representados num único espaço. A entrada é gratuita.

Têm notoriedade a nível nacional e internacional. Contam nos seus currículos com a participação nas mais prestigiadas bienais do mundo. Agora, estarão todos juntos, representados na exposição “Quinze Escultores” que decorre entre 3 de março e 28 de maio, no Museu Internacional de Escultura Contemporânea, em Santo Tirso.

Alberto Carneiro, António Campos Rosado, Manuel Rosa, Zulmiro de Carvalho, Carlos Barreira, Rui Sanches, Ângelo de Sousa, Rui Chafes, José Pedro Croft, Fernanda Fragateiro, Pedro Cabrita Reis, José Barrias, Ângela Ferreira, Carlos Nogueira e José Aurélio. São estes os nomes que compõem a exposição.

“Estamos a falar de artistas com um peso incontornável na história das artes plásticas em Portugal. O objetivo desta exposição, que integra a programação que a Câmara Municipal tem prevista para o Museu, é afirmar Santo Tirso como a Capital da Escultura Contemporânea em Portugal”, realça o presidente da autarquia, Joaquim Couto.

Uma mostra, como acrescenta o diretor do Museu, Álvaro Moreira, que “pretende documentar a diversidade da obra de cada um dos artistas convidados”. Nesta exposição, explica, “o público vai poder perceber as obras que cada um destes artistas se encontra a desenvolver e como se encontram os seus traços condutores na atualidade”.

Escultores nascidos em Portugal ou nas antigas colónias portuguesas que, derivado ao seu trabalho artístico, possuem grande notoriedade a nível nacional e internacional entre a segunda metade do século XX e a primeira metade do século XXI, estando representados em diversos parques de esculturas. Para além desta atividade, estes escultores expõem individual e coletivamente em diversas instituições, galerias e museus.

O trabalho destes artistas possui uma grande diversidade tanto a nível de materiais, onde se pode encontrar a pedra, o metal, a madeira, o vidro e a água, como de linhas condutoras de trabalho, onde cada um procura um ponto de encontro com outra arte como o desenho ou a arquitetura.

 

MUSEU INTERNACIONAL

“Quinze escultores” vai estar patente até 28 de maio no Museu Internacional de Escultura Contemporânea, um edifício da coautoria dos arquitetos Álvaro Siza Vieira e Eduardo Souto de Moura, inaugurado em maio de 2016.

O edifício é sede, centro interpretativo e espaço de exposições que complementa o acervo de 54 esculturas ao ar livre, dispersas pela cidade de Santo Tirso. Muitos dos artistas convidados para esta exposição “Quinze escultores” – como por exemplo Pedro Cabrita Reis, Alberto Carneiro, Carlos Nogueira ou José Barrias – têm obras expostas no parque escultórico do Museu Internacional de Escultura Contemporânea ao ar livre [http://miec.cm-stirso.pt]

 

 

 

HORÁRIOS

Terça a sexta-feira: 9h00 – 17h30

Sábados, domingos: 14h00 – 19h00

Encerra às segundas-feiras e feriados.

Exposição com entrada gratuita.

 

Comentários