Atualidade
Santo Tirso sobe mais de 100 lugares no índice de transparência municipal

O concelho de Santo Tirso subiu 105 lugares no ranking dos municípios mais transparentes em 2016. O resultado foi divulgado pela organização não-governamental Transparência e Integridade, Associação Cívica, que tem como missão combater a corrupção. Um resultado que, segundo o presidente da Câmara, Joaquim Couto, traduz o esforço que tem vindo a ser desenvolvido pelo atual executivo, “no sentido de informar e prestar contas à população do concelho”.

O Índice de Transparência Municipal, que avalia a informação de interesse público disponibilizada no site oficial das câmaras,  colocava, em 2013, Santo Tirso na 252ª posição do ranking, entre 308.

Após a tomada de posse do atual executivo camarário, foi assumida a necessidade de reformular o site do Município, com vista a torná-lo mais transparente e a disponibilizar mais informação à população do concelho, bem como mais apelativo e intuitivo.

Após a conclusão da reformulação, em 2015, Santo Tirso sobe, em 2016, 105 lugares no ranking, passando a ocupar a 147ª posição no Índice de Transparência Municipal, entre os 308 concelhos portugueses. “Para nós, a prestação de contas não é só um dever ou um imperativo democrático dos eleitos ou dos governantes. É, como temos vindo a dizer desde 2013, uma forma de envolver a população de Santo Tirso nas decisões da comunidade”, argumentou Joaquim Couto, numa declaração política lida antes do período da ordem do dia da reunião do executivo camarário, que se realizou esta quinta-feira.

Os resultados agora tornados públicos pela organização não-governamental Transparência e Integridade só não foram alcançados antes devido ao processo de reformulação de que foi objeto o site do Município.

Apesar de Santo Tirso ter sido um dos municípios que mais lugares subiram no “ranking” que mede a transparência, o presidente da Câmara sublinhou que “o executivo está empenhado em melhorar a performance já alcançada, comprometido com um dos mais nobres princípios éticos e democráticos: a prestação de contas”.

 

Comentários