Atualidade
Skate Parque vai nascer no novo Parque Urbano de Geão

 Um skate parque, uma área de street workout com capacidade para realização de campeonatos nacionais, um parque infantil e 1,5 quilómetros de percursos pedonais e cicláveis. O projeto que vai dar origem ao novo Parque Urbano de Geão está concluído e envolve uma requalificação de 70 mil metros quadrados e um investimento da Câmara Municipal de Santo Tirso na ordem dos dois milhões de euros.

“Vai ser, com certeza, um projeto com grande impacto nesta zona do concelho, com a criação de equipamentos de desporto e lazer ao ar livre de qualidade, permitindo que o espaço seja usufruído por toda a população”, realçou o presidente da autarquia, Joaquim Couto.

Na sessão de apresentação que decorreu na Escola Básica e Secundária D. Dinis esta segunda-feira, o autarca realçou que o objetivo fundamental desta obra  “é promover a coesão territorial da cidade de Santo Tirso”, permitindo “alavancar o investimento privado nesta zona”.

Com uma área de 800 metros quadrados e preparado para a prática de skate, BMX e patins em linha, este foi um dos novos espaços inseridos no projeto do novo Parque Urbano de Geão. A criação de um skate parque, explicou Joaquim Couto, “foi um compromisso eleitoral”, que, agora, irá ganhar forma nesta zona da cidade.

Igualmente inovador no Município de Santo Tirso é a inclusão de um espaço de street workout, numa área de 400 metros quadrados, que permitirá a realização de campeonatos nacionais. Este desporto tem ganho cada vez mais adeptos, “pelo que será uma mais valia para Santo Tirso e para o Parque de Geão”, sublinhou o autarca.

Outra das praças que vai ser criada nesta zona verde da cidade será um parque infantil com 500 metros quadrados, com equipamentos adequados aos mais pequenos.

A intervenção no novo Parque Urbano de Geão envolve uma área total de 70 mil metros quadrados, incluindo trabalhos como a requalificação das margens do rio Sanguinhedo, a construção de um percurso pedonal e ciclável com uma extensão de 1,5 quilómetros. Também em destaque estarão as três esculturas do Museu Internacional de Escultura Contemporânea existentes neste núcleo.

“Houve necessidade de reformular o projeto que estava a ser executado em 2015,de forma a envolver diversas entidades, entre as quais o Ministério do Ambiente, dado tratar-se de uma zona de Reserva Ecológica”, explicou Joaquim Couto, lembrando ainda o diálogo estabelecido com a Escola D. Dinis e a Associação dos Amigos de Sanguinhedo, duas instituições que sairão beneficiadas por este projeto.

Comentários