Atualidade
CDS-PP vai propor votação de censura ao novo Executivo Camarário na próxima Assembleia Municipal

Comunicado

Face aos acontecimentos ocorridos nestas 2 ultimas semanas no concelho, relacionado com as operações Teia e Dennis, o CDS de Santo Tirso, deliberou em reunião concelhia o seguinte:

1- A política e os políticos são para servirem as pessoas e as suas terras.

2- Os factos judiciais são tratados na justiça e os políticos com o voto.

3- O concelho de Santo Tirso, vive neste momento a pior fase política da sua História, onde viu perder o seu Presidente eleito, por motivos de suspeitas criminais.

4- A renuncia por parte do Ex-Presidente, foi uma forma digna de defender, aqueles que ele representava, atitude essa, já elogiada por nós.

5- A confiança quer seja económica, financeira, social ou empresarial no Concelho, ficou extremamente debilitada com estes actos, refira-se, surpreendentes.

6- Realçamos e sublinhamos a nossa estupefação, do facto do PS de Santo Tirso, continuar a assobiar para o lado sobre o acontecido, onde apenas enalteceu a atitude do seu Ex- Lider Concelhio e Ex-Presidente de Câmara, comportamento esse de uma linha orientadora inspirada talvez da doutrina nacional, da sua dualidade de critérios e na falta de seriedade política para com os cidadãos. Ou seja, elogiam o ex-presidente de câmara e seu ex-líder, em renunciar a todos cargos políticos, mas aceita, que quem o substitui como Presidente da Câmara, esteja em situação semelhante.

7- Isto chama-se 2 pesos e 2 medidas, ou melhor, interesses partidários, políticos e principalmente falta de Ética.

8- Segundo o comunicado da Câmara Municipal, do dia 29 de Maio, a autarquia está a ser investigada por utilização de viaturas por parte do executivo, viagens de trabalho pelo executivo e contratação de 2 projectos de arquitectura. Ora , questionamos, assim o actual executivo, na porventura de existirem crimes, qual a posição que tomarão.

9- Face a estes todos acontecimentos, gostaríamos de referir, que como força política com assento parlamentar na Assembleia Municipal, nada, nem ninguém nos contactou para qualquer acto meramente consultivo ou informativo sobre o assunto. Na democracia, deverão ser ouvidos todos os intervenientes, já que a política é para servir e não para nos servimos dela.

Em Suma:
É nossa opinião, que o agora novo Presidente da Camara, não reúne as condições Políticas necessárias, para ocupar o cargo.

Face disto, solicitaremos ao Presidente da Assembleia Municipal, a inclusão na ordem trabalho da próxima Assembleia, uma proposta de votação de uma moção de censura ao novo executivo camarário.

Santo Tirso, 6 de Junho de 2019

CPC CDS/PP de Santo Tirso

Comentários