Atualidade
Comunicado PSD/Santo Tirso

Em face das últimas noticias/informações publicadas e amplamente divulgadas, e na sequência da renúncia do Dr. Joaquim Couto ao cargo de Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, o PSD de Santo Tirso transmite:

1- Em primeiro lugar, de forma clara e inequívoca que jamais pactuará e alinhará com julgamentos na praça pública, pois muito preza e defende os princípios fundamentais de um Estado de Direito Democrático, na convicção de que a Justiça cumprirá o seu papel e prosseguirá “para apuramento de todas as condutas criminosas e responsabilização dos seus autores”, se for o caso;

2- No entanto, o PSD de Santo Tirso não pode ficar indiferente à sucessão de acontecimentos que têm manchado o nome do Município de Santo Tirso, que num curto espaço de tempo foi sucessiva e diariamente notícia em todos os órgãos de comunicação social pelas piores razões, o que inevitavelmente afeta profundamente a sua imagem;

3- Em dezembro de 2018, no âmbito da denominada Operação “Dennis”, foi constituído Arguido o então Senhor Vice-Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Dr. Alberto Costa.

4- Agora, em maio de 2019, no seguimento da denominada Operação “Teia”, foi detido o Senhor Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Dr. Joaquim Couto, tendo a investigação, a cargo da Polícia Judiciária, apurado “a existência de um esquema generalizado, mediante a atuação concertada de autarcas e organismos públicos, de viciação fraudulenta de procedimentos concursais e de ajuste direto com o objetivo de favorecer primacialmente grupos de empresas, contratação de recursos humanos e utilização de meios públicos com vista à satisfação de interesses de natureza particular”, de que resultou entretanto as conhecidas medidas de coação

5- Assim sendo, o Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Dr. Joaquim Couto, e o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Dr. Alberto Costa, são ambos arguidos em processos de investigação para apurar a prática de crimes que atentam contra a transparência e a credibilidade do poder local;

6- O Dr. Joaquim Couto terá renunciado ao cargo, como anunciado pelo seu Advogado no dia de ontem, postura digna e correta em face do que se vem expondo;

7- Já se questiona por que razão o Senhor Vice-Presidente da Câmara Municipal, Dr. Alberto Costa, igualmente indiciado pela prática de crimes graves, não seguiu o exemplo do Dr. Joaquim Couto e não teve o mesmo comportamento, mas cada um sabe de si;

8- O exercício de cargos políticos e a gestão de dinheiros públicos exigem aos eleitos seriedade, rigor, transparência e credibilidade, valores e princípios que o PSD de Santo Tirso sempre apregoou, defendeu e praticou;

9- Quer o Dr. Joaquim Couto, quer o Dr. Alberto Costa, que lhe sucederá no cargo de Presidente mas cuja legitimidade pode ser questionada politicamente pois os eleitores elegeram e confiaram em Joaquim Couto como Presidente e não em Alberto Costa, são suspeitos da prática de crimes extremamente graves que, não obstante o respeito pela presunção da inocência, em face dos indícios tornados públicos não poderão passar pelos pingos da chuva da habitual vitimização e argumentação de alegada perseguição política, que não é;

10- À justiça o que é da justiça, à politica, o que é da politica, pelo que anuncia o PSD de Santo Tirso que solicitou já ao Senhor Presidente da Assembleia Municipal, com carácter de urgência, uma Conferência de Líderes dos Partidos com representação na Assembleia Municipal, para análise da situação politica, na medida em que, não estando em causa a legitimidade democrática formal, que não está, estará seguramente em crise a gestão livre e sem suspeitas dos destinos da Autarquia de Santo Tirso;

11- Com o mesmo propósito, através dos seus Vereadores, solicitou também o agendamento de uma reunião de Câmara com carácter de urgência;

12- De resto, o Partido Socialista de Santo Tirso, na opinião do PSD, deve retirar todas as ilações e consequências políticas do sucedido, pelo que se aguarda pelo desenrolar dos próximos acontecimentos;

13- Por antecipação, adianta o PSD de que de nada valerá a acusação tentadora de que o que pretende é retirar dividendos políticos do que está a acontecer em Santo Tirso, porque não é. O PSD de Santo Tirso é e sempre foi um Partido responsável e só está única e exclusivamente interessado na defesa dos superiores interesses dos Tirsenses;

14- O PSD de Santo Tirso continuará, por isso, atento ao desenvolvimento de todas as ocorrências relacionadas com os processos em curso, sempre ao lado do povo do Concelho de Santo Tirso, gente de bem e trabalhadora, e dos seus interesses, lutando por um Concelho de futuro, mas digno e verdadeiramente em boas mãos.

03 de Junho de 2019

A Comissão Política de Secção do PSD de Santo Tirso