Atualidade
Santo Tirso sobe 12 lugares no ranking das melhores cidades do país

EM APENAS CINCO ANOS, MUNICÍPIO PASSA DA 60ª POSIÇÃO PARA A 48ª

Em apenas cinco anos, Santo Tirso subiu 12 posições ao nível das “melhores cidades” para viver, visitar e investir. Este é um dos resultados do estudo da empresa independente Bloom Consulting, no ranking de 2018 do “Portugal City Brand”. Atualmente, Santo Tirso é a 48ª melhor cidade do país.

Mede, anualmente, o impacto da marca de 308 municípios portugueses em matéria de visibilidade e promoção territorial e avalia-os nas categorias de Negócios (Investimento), Visitar (Turismo) e Viver (Talento).

Os resultados tornados públicos no estudo desenvolvido pela Bloom Consulting, empresa especializada na elaboração de rankings, confirmam que Santo Tirso tem vindo a conquistar, ano após ano, lugares mais satisfatórios no que diz respeito à sua estratégia promocional.

Em apenas cinco anos, de 2013 a 2018, Santo Tirso subiu 12 posições a nível nacional. Dos 308 municípios do país, Santo Tirso aparece em 48º lugar, quando em 2013 aparecia no lugar número 60. Já na tabela dos 86 concelhos do Norte, assume os lugares cimeiros e fixa-se na 16ª posição, uma posição acima da registada no ano de 2017.

“Temos desenvolvido um conjunto de políticas em torno do bem-estar da população de Santo Tirso e dos visitantes que cá chegam que tem dado frutos e esta é mais uma confirmação de estamos no bom caminho”, congratula-se o presidente da Câmara, Joaquim Couto.

A subida de Santo Tirso acontece em todas as categorias avaliadas. Na categoria Viver foram consideradas não só as taxas de desemprego e criminalidade, mas também o poder de compra e Santo Tirso subiu no ranking de 2018, fixando-se na 17ª posição, um lugar acima do que no ano de 2014, dos concelhos da região Norte.

Mas é no investimento que Santo Tirso mais tem subido. No ranking de 2014 estava no 19º lugar. Em 2018, subiu para a 14ª posição dos 86 concelhos do Norte do país. Outra das subidas, comparativamente a 2014, é na área do Viver que tem como indicador a taxa de ocupação hoteleira. Em 2018, Santo Tirso subiu três lugares, posicionando-se na 22ª posição.

“O turismo, o investimento e a aposta na qualidade de vida são apostas que nos permitem projetar o Município e atrair empresas e visitantes”, explica Joaquim Couto, adiantando que “a marca Santo Tirso é cada vez mais reconhecida além-fronteiras, fruto de iniciativas de grande dimensão como o Mercado Nazareno, ou apostas culturais como o Museu Internacional de Escultura Contemporânea”.

PARÂMETROS AVALIADOS

O estudo da Bloom Consulting tem como objetivo medir o valor da marca dos municípios, tendo em conta diversos indicadores económicos e sociais. Partindo da questão – Por que são alguns municípios mais atrativos do que os outros? –, resultaram os objetivos de avaliar o impacto das estratégias políticas, de urbanismo e de promoção de cada município e o de identificar as potencialidades e fragilidades de todos os municípios portugueses, nas áreas do negócio, investimento, talento e qualidade de vida.

Tendo como indicadores o número de empresas do concelho, as dormidas e a população, a empresa que fez este estudo refere que os dados permitem avaliar a atividade empresarial, a dimensão da indústria turística e os movimentos migratórios populacionais em cada município.

Em Negócios (Investimento), foi considerada a percentagem de novas empresas sobre o total de empresas. Em Visitar (Turismo), foi tida em conta a taxa de ocupação hoteleira. Em Viver (Talento), foram consideradas, não só as taxas de desemprego e de criminalidade, mas também o poder de compra de cada munícipe, relativamente à média nacional.

Estes indicadores permitem compreender o clima de negócios, o desempenho hoteleiro, o nível de segurança e ainda as oportunidades oferecidas a novos residentes. Finalmente, e por forma a fazer justiça aos municípios menos populosos, foram incluídos indicadores de rácios.

Isto permite entender qual das três dimensões, Negócios (Investimento), Visitar (Turismo) e Viver (Talento), é a componente socioeconómico mais importante em cada município. Por sua vez, na dimensão Negócios (Investimento), foi calculado o número de empresas por habitante, enquanto que na dimensão Visitar (Turismo), foi tido em conta o número de dormidas por habitante, bem como o número de habitantes por centro médico.