Sociedade
Preço dos passes descem a parir de 1 de abril

POUPANÇA PODE ATINGIR MAIS DE 600 EUROS/ANO

O passe único no Município de Santo Tirso deverá entrar em vigor em junho, mas a 1 de abril todos os passes vão ter o valor de 30 euros dentro do Município e 40 euros fora do Município. “Trata-se de uma descida acentuada nos valores dos passes. Algumas descidas são, mesmo, mais significativas do que qualquer subida média no valor salarial”, comparou o presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto.

A Área Metropolitana do Porto (AMP) passará a ter um passe único válido para viagens dentro dos 17 concelhos com preços mais vantajosos para a população. Em Santo Tirso, o passe único deverá chegar em junho, mas o presidente da Câmara, Joaquim Couto, anunciou esta segunda-feira que “enquanto o passe único não entra em vigor em todos os concelhos, a 1 de abril todos os passes passam para o valor de 30 euros para viagens dentro do Município, ou até três zonas contíguas, e 40 euros para viagens fora desse perímetro”. A aplicação da descida dos passes atuais, é uma decisão que, acredita, confere “uma maior justiça enquanto o passe único não chega”.

Para Joaquim Couto, a introdução do passe único “é uma vitória da AMP” e “uma importante conquista para Santo Tirso, uma vez que é uma medida com real impacto no orçamento familiar das pessoas”.

IMPACTO NOS ORÇAMENTOS FAMILIARES

Numa conferência de imprensa realizada na Central de Transportes de Santo Tirso, o autarca deu exemplos concretos das descidas dos preços. Numa ligação rodoviária entre Vilarinho a Santo Tirso, o valor do passe desce dos 71,60 euros mensais para 30 euros, ou seja, uma poupança anual de quase 500 euros.

Já o percurso entre S. Mamede de Negrelos baixa dos atuais 61,5 euros para 30 euros, representando uma poupança de 378 euros anuais no passe de um utente. Outro exemplo, na ligação Santo Tirso a Água Longa, o passe atual custa 49,8 euros e passará para 30 euros. Uma diferença de quase 240 euros por ano. Quem é utilizador do TUST também vai ver os preços baixar de 38,65 euros/mês para 30 euros/mês.

O mesmo se passará nas deslocações para fora do Município de Santo Tirso, muito embora os valores (30 ou 40 euros) possam depender dos zonamentos.  Em termos práticos, quem se deslocar do centro de Santo Tirso para S. Martinho do Bougado ou S. Romão do Coronado, ambos na Trofa, pagará um passe de 30 euros, contra os 39,45 atuais.

Já do centro de Santo Tirso para Alfena, Valongo, o custo do passe mensal será de 40 euros, contra os 61,50 que paga atualmente, o que se traduz numa poupança de 258 euros por ano.

Grande é a diferença nas deslocações, através de transporte coletivo, de Santo Tirso para o Porto. O passe custa 92,45 euros e passará a custar apenas 40 euros, ou seja, uma poupança anual de 629,4 euros por ano.

A única diferença entre os passes atuais e o passe único é que os primeiros não permitem a intermodalidade. Isto é, no caso do passe dos TUST o utente não poderá, até junho, utilizar outro operador de transportes com aquele título. “Esperamos que em junho, todas as transportadoras estejam em condições de ter os seus validadores adaptados ao passe único, por forma a que todos os concelhos da AMP passem a dispor desta medida”, explicou o presidente da Câmara de Santo Tirso.

Para além do apoio às famílias, Joaquim Couto sublinha a importância que terá na proteção ambiental. “Trata-se de uma mudança radical, com grande impacto económico para os passageiros, mas que também pretende incentivar o uso do transporte público e a redução e CO2, reduzindo o recurso ao automóvel privado”, sublinhou, lembrando todo o trabalho que está a ser realizado pela Câmara Municipal na área da Mobilidade Sustentável: “Em Santo Tirso, temos em curso um plano de requalificação da rede rodoviária, da criação de ciclovias, de gestão das estações ferroviárias (Santo Tirso e Aves). A criação do passe único é mais uma medida importante na melhoria da qualidade de vida da nossa população