Atualidade
Plano de Segurança da Biblioteca Municipal testado em simulacro

CERCA DE 200 CRIANÇAS E JOVENS FORAM EVACUADAS DO EDIFÍCIO

Fumo por todo o edifício, pessoas a correr para as saídas de emergência. Este era o cenário que, esta terça-feira, envolvia a Biblioteca Municipal, numa altura em que cerca de 200 crianças e jovens se encontravam no interior. O simulacro de incêndio testou o Plano de Segurança e os procedimentos foram concluídos com sucesso.

O alarme soou às 15h00, altura em que a Biblioteca Municipal se encontrava repleta de crianças e jovens. Um incêndio provocado por um dos aquecedores do auditório originou três feridos, que foram transportados para as unidades de Santo Tirso e Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave.

O cenário serviu para testar todo o Plano de Segurança Interno da Biblioteca Municipal e, segundo explica o presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto, “avaliar o conhecimento que os técnicos têm sobre os procedimentos que devem adotar e detetar eventuais lacunas do plano para que possa ser melhorado”.

O simulacro envolveu as três corporações de bombeiros do concelho e os diversos agentes de proteção civil, assim como cerca de 200 crianças e jovens. Joaquim Couto defendeu a importância de “dar informação e estímulos” aos jovens, “direcionando-lhes as mensagens, envolvendo-os nas ações”, como foi o caso deste simulacro. Desta forma, acrescentou, “estamos a apostar na sensibilização e prevenção”.

A iniciativa promovida pela Câmara de Santo Tirso está inserida nas comemorações do Dia da Proteção Civil que se assinalam até dia 16 e que, este ano, se focam no papel do cidadão enquanto primeiro agente de Proteção Civil.

 “Limpar terrenos, cuidar da rede elétrica dos aparelhos, ver se as linhas de água próximas das suas casas estão livres” são algumas das medidas que podem ser feitas, salienta o autarca. Prevenir é, garante, a palavra de ordem, “para que quando as coisas acontecem não sejamos apanhados desprevenidos”, conclui