FREGUESIA DE MONTE CÓRDOVA
Igreja Paroquial de Monte Córdova / Igreja do Divino Salvador

Arquitetura religiosa, do séc. 20. Igreja paroquial revivalista neoromânica, de planta retangular composta por nave, capela-mor, anexos e torre sineira adossada ao lado direito, com coberturas interiores diferenciadas, em falsas abóbadas de lunetas, iluminada uniformemente por janelas rasgadas nas fachadas laterais. Fachada principal rematada em empena, com portal escavado, formando um nártex em ressalto, encimado por vão crucífero. Torre sineira com quatro ventanas de volta perfeita. Fachadas com remates em cornijas, as laterais com portas travessas de volta perfeita e tímpano decorado, assente em impostas salientes. Interior com coro-alto, batistério na parede fundeira, e confessionário embutido no lado da Epístola. Arco triunfal de volta perfeita, de acesso à capela-mor, com simples mesa de altar.

Descrição

Planta retangular composta por nave, capela-mor, flanqueada por anexos e torre sineira no lado direito, de volumes articulados e escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de uma (anexos) e duas águas no templo, com lunetas de duas águas na capela-mor, sendo em coruchéu piramidal, parcialmente revestido a cantaria de granito, na torre sineira. Fachadas em alvenaria rebocada e pintada de branco, percorrida por altos socos em alvenaria de granito, tendo as juntas pintadas de branco, e rematadas por cornijas; os vãos são em arcos de volta perfeita, com molduras em cantaria de granito, que, nas janelas, se prolongam em panos de peito e em falsos brincos, estando protegidas por vitrais figurativos. Fachada principal virada a O., rematada em empena, ostentando parcialmente cornija, com a imagem do orago no vértice; é rasgada por portal envolvido por alfiz saliente, com vão parabólico, de acesso a pequeno nártex com pavimento em lajeado e para onde abre porta de verga reta e moldura superiormente recortada, tendo, nas ilhargas, vãos crucíferos; o alpendre é rematado por cachorros ornados por esferas. Sobre o portal, vão crucífero, com as hastes intercetadas por cruz inscrita em esfera. No lado direito, sineira em esbarro, de cunhais chanfrados a partir de meia altura, sustentada por contrafortes exteriores, em alvenaria de granito aparente, e com quatro ventanas de volta perfeita, tendo, na base, os mostradores do relógio, com portas nas faces lateral direita e posterior, esta com pequena fresta a iluminar as escadas. Fachada lateral esquerda com porta travessa tendo tímpano ornado por cruz e assente em impostas salientes; está ladeado por três janelas e uma pequena fresta, surgindo uma quinta janela no corpo da capela-mor, que tem o anexo adossado com duas janelas retilíneas, tendo porta na fachada posterior. Fachada lateral direita com duas portas travessas e quatro janelas semelhantes às da fachada oposto, sendo marcada por corpo convexo, correspondente ao confessionário. O corpo da capela-mor tem uma janela e o corpo adossado, com duas janelas e porta na face posterior. Sobre os anexos, são visíveis as lunetas em arcos de volta perfeita, das fachadas laterais. Fachada posterior em empena, rasgada por vão crucífero. INTERIOR com as paredes rebocadas e pintadas de branco, percorridas por silhares de azulejos de padrão em bicromia, a azul e branco, encimados por frisos de madeira, a nave bastante larga e com cobertura em falsa abóbada de lunetas, rebocada e pintada de branco e assente em cornijas de cantaria e ornada por medalhões circulares em estuque; pavimento em soalho. Coro-alto duplo assente em pilares de cantaria, com guardas de madeira torneada, acedido por porta de verga reta no lado da Epístola, através da torre sineira; nele, existem duas portas de acesso ao nível superior. Portal axial protegido por guarda-vento de metal e vidro simples. No lado do Evangelho, vazado na parede fundeira, o batistério amplo e protegido por teia de madeira, tendo painel de azulejo em meia luneta, em bicromia, a azul e branco, figurando o Batismo de Cristo; a pia batismal é de cantaria, com coluna cilíndrica e taça hemisférica. No lado do Evangelho, um órgão elétrico e, no lado oposto, sensivelmente a meio da nave, um vão de volta perfeita ladeado por colunelos de estuque, acede a um corpo adossado, com cobertura em cúpula e iluminação zenital, onde está instalado o confessionário. Arco triunfal de volta perfeita, assente em pilastras de cantaria, flanqueado por estruturas murais côncavas, flanqueadas por colunelos de estuque e remates em cornija, onde surgem mísulas com imaginária. Capela-mor elevada por dois degraus com cobertura em falsa abóbada de lunetas, rebocada e pintada de branco, assente em cornijas, e pavimento em lajeado. Possui mesa de altar paralelepipédica, em cantaria de granito, com a face frontal decorada com um pelicano inciso. No lado da Epístola, um atril de madeira. Sobre supedâneo de três degraus, com maciços de pedra laterais, os assentos dos celebrantes e, adossado à parede testeira, uma consola com o sacrário, em forma de caixa e com a porta ornada por cruz. Confrontantes, duas portas retilíneas, de acesso aos anexos; estes têm as paredes e tetos planos rebocados e pintados de branco e pavimentos em soalho, com armários, arcaz, mesas de apoio e um bufete de madeira.