FREGUESIA DE MONTE CÓRDOVA
Capela de Santa Luzia

Arquitetura religiosa, seiscentista. Capela de planta retangular de espaço único, alpendrada, com cobertura interior em masseira e escassamente iluminada por fresta rasgada na fachada lateral esquerda. Fachada principal rematada em empena truncada por sineira de volta perfeita, com os vãos rasgados em eixo composto por portal dintelado e óculo circular. Interior com estrutura retabular de talha pintada, de planta reta e cinco eixos, de feitura novecentista.

Descrição

Planta retangular de uma só nave antecedida por alpendre, e com sacristia adossada ao lado direito, de volumes articulados e escalonados, tendo coberturas diferenciadas em telhados de uma (anexo), duas (templo) e três (alpendre) águas, rematadas em beiradas simples. Fachadas em cantaria de granito aparente, em aparelho isódomo, assente em embasamento de alvenaria, que nivela o pavimento, e rematadas em cornijas. Fachada principal virada a NO., rematada em empena sem retorno, truncada por sineira de volta perfeita, ornada lateralmente por volutas e rematada por cruz latina, sendo rasgada por portal de verga reta, dintelado, envolvido por vestígios de vão em arco de volta perfeita; está protegido por duas folhas de madeira e encimado por óculo circular. O alpendre está sustentado por pilares em cantaria de granito, fechado por muretes laterais, o do lado esquerdo mais elevado, com pavimento em lajeado e cimento e teto de madeira, em masseira. A fachada lateral esquerda ostenta vestígios da existência de um vão de volta perfeita, atualmente entaipado, rasgado por fresta junto à zona do altar-mor. A fachada lateral direita ostenta vestígios da existência de um vão de volta perfeita, atualmente entaipado, sendo marcada pelo anexo da sacristia, com janela e porta de verga reta na face NO.. Fachada posterior em empena, sem retorno e cega, tendo cruz latina no vértice. INTERIOR com as paredes rebocadas e pintadas de branco, percorridas por rodapés cerâmicos, tendo cobertura de madeira em masseira e pavimento em ladrilho cerâmico. São visíveis os primitivos vãos de volta perfeita e em cantaria de granito aparente. A ladear o portal axial e a porta da sacristia, pia de água benta, em cantaria e de bordo boleado. Confrontantes, duas mísulas em cantaria. Sobre supedâneo de um degrau, a mesa de altar, de madeira, assente em pilar central tronco-piramidal, flanqueado por duas mesas de apoio. No lado da Epístola, nicho para alfaias, retangular e de moldura em cantaria, protegido por porta metálica pintada de azul e branco. Na parede testeira, em zona superior, pinturas murais, a representar os atributos do orago, sobre o retábulo-mor, de talha pintada de branco, azul e dourado, de planta reta e cinco eixos definidos por pilastras dóricas, sobrepujadas por urnas, tendo, nos interiores, nichos contracurvos e de molduras salientes, o central de maiores dimensões, surgindo, no exterior, mísulas. A estrutura remata em frisos e cornijas curvos. Altar em forma de urna, pintado de branco e azul, tendo as iniciais “SL”, encimado por sacrário rematado em cornija curva e com a porta ornada por cruz. No lado da Epístola, porta de verga reta, de acesso à sacristia, com paredes rebocadas e pintadas de branco, teto de madeira e pavimento em tijoleira, contendo mesa de apoio e arcaz de três gavetões e duas portas laterais.