Como diz o ditado, água mole em pedra dura tanto bateu até que apareceu Militão a furar. Apareceu bem o central na área contrária para aproveitar da melhor forma uma bola nas costas da defesa da casa para bater o guarda-redes francês do Aves.

Foi diferente a segunda parte. A correr atrás do prejuízo, o Aves foi mais acutilante, soltou-se das amarras e fez por esticar o seu jogo até à área de Casillas, o senhor que atingiu na noite desta quinta-feira o jogo cem em jogos do campeonato português.

A bola rondou mais vezes a baliza do espanhol, com alguns momentos de calafrios, mas sem verdadeiras ocasiões de perigo. Bolas despejadas na área, bolas paradas e tentativas de cruzamento quase sempre por Baldé iam sendo as armas avenses. Sem ocasiões de verdadeiro perigo até Nildo atirar com estrondo à trave da baliza azul e branca no derradeiro lance do encontro.

Teve de arregaçar as mangas o FC Porto, defendeu com todos nos instantes finais e deu continuidade à contagem ao segurar o triunfo. Mantém a invencibilidade perante o Aves o FC Porto, soma e segue na contagem de vitórias. Já lá vão dezassete. O Aves está há sensivelmente dois meses sem vencer na Liga, somou apenas um ponto nas últimas cinco jornadas e está no grupo dos penúltimos classificados