Atualidade
Última sessão de apresentação do Orçamento de Estado decorreu em Santo Tirso

A última das 18 sessões de apresentação do Orçamento do Estado para 2019 levadas a cabo pela Federação Distrital do PS/Porto teve lugar este sábado à noite em Santo Tirso, na Biblioteca Municipal, com a presença de Augusto Santos Silva.

PUB.

Com casa cheia, a sessão serviu não apenas para a apresentação das previsões orçamentais para o próximo ano, mas também para debater política e políticas para o futuro do País.

Líder da Comissão Política Concelhia do PS e presidente da mesa da Federação Distrital do PS/Porto, Joaquim Couto sublinhou alguns dos aspetos mais importantes do OE’19, nomeadamente o défice próximo de zero, o que é histórico em Democracia; a queda do desemprego, a redução da dívida, o crescimento económico. Em suma, a consolidação das contas públicas.

Joaquim Couto também elogiou a continuidade das políticas dirigidas às pessoas e às empresas, por via do alívio da carga fiscal, à semelhança do que prevê o orçamento municipal para o próximo ano.

Já Manuel Pizarro enalteceu a realização da iniciativa da Federação Distrital do PS/Porto, que decidiu realizar uma sessão de apresentação do Orçamento do Estado por cada uma das Concelhias do distrito.

PUB.

Preocupado com os ventos populistas que sopram em algumas latitudes, o presidente da Federação só vê uma solução para os combater: reforço da participação cívica e política das pessoas, através, por exemplo, da realização de debates como aqueles que a Federação levou a cabo sobre o OE’19.

Segunda figura do Governo, Augusto Santos Silva fez uma explanação mais aprofundada sobre o OE’19 e mostrou-se “satisfeito” por este estar em linha com os orçamentos anteriores apresentados pelo PS.

PUB.

Fez questão de lembrar que o anterior Governo apresentou 12 orçamentos retificativos, contra nenhum do PS desde que se iniciou a Legislatura; criticou a direita por estar à deriva com os resultados orçamentais alcançados pelo PS, quando previu a chegada do Diabo; e manifestou-se otimista quanto ao sentido de responsabilidade dos partidos de esquerda na votação na especialidade do OE’19.

PUB.

 

Comentários